sábado, 24 de junho de 2017

Na abertura da Série B, Cruzeiro vence Ceilandense com gol nos acréscimos

Por Rener Lopes (Esportes Brasília)

A partida entre Ceilandense e Cruzeiro abriu a segunda divisão do Campeonato Brasiliense. Além da baixa umidade do ar, registrada com 30% por volta da metade do primeiro tempo, os jogadores tiveram outro adversário: o relógio.

As equipes entraram em campo conforme o protocolo da Federação de Futebol do Distrito Federal, cinco minutos antes da bola rolar. Já a Polícia Militar chegou ao estádio Abadião apenas às 15h33.

Como de costume, a partida não pode começar sem a presença de uma ambulância. Uma viatura ABT do Corpo de Bombeiros chegou ao local às 15h53. Estando correto, o árbitro Maricleber Gois apitou o início de jogo às 15h55.

Logo aos dois minutos, quem começou ameaçando foi o Cruzeiro, treinado por Robson Marinho, uma vez que o técnico José Lopes Risada está suspenso pelo TJD/DF. Lucas Bocão recebe bom passe no campo de ataque e chuta forte, mas a bola vai por cima da meta de Leonardo. A resposta do Ceilandense veio aos cinco minutos com Ítalo, que arriscou de longe sem direção.

O time de Ceilândia tentou mais uma vez aos oito, quando Ugleizer recebeu passe pela esquerda de Ítalo, mas na hora de concluir, faltou perna e não conseguiu finalizar.

Aos 15 minutos, quem pressionou foi o Cruzeiro. Cleuton recebe pela esquerda e dá bom passe para Thiago Gomes finalizar. A bola passa raspando à trave de Leonardo e indo pela linha de fundo. O Ceilandense tentou mais uma vez aos 20 minutos. Lucas dominou pela direita, trouxe pra esquerda e chutou forte, mas o goleiro Marlon estava atento.

Com 27 minutos, Amilton recebe passe pelo meio e alcança Thiago Gomes pela direita. O camisa 10 do Cruzeiro esperou Amilton retornar no centro da grande área e rolou, mas na hora de concluir, a bola passou à esquerda do goleiro Leonardo.

Vendo a pressão, o técnico Fabiano Paula fez a primeira alteração do jogo aos 33 minutos, sacando Ugleizer e colocando Jonathan no lugar. Depois disso, o jogo perdeu em qualidade e os 45 minutos iniciais terminaram sem a rede balançar.

No intervalo de jogo, o Corpo de Bombeiros informou que não iria se responsabilizar em caso de contusão de atletas, pois não existiam médico e ambulância oficiais para atendimento. Para que a partida reiniciasse, o médico do Ceilandense, Bruno Cruz, assumiu a responsabilidade de atender os atletas com a estrutura do Corpo de Bombeiros.

Depois de 22 minutos de intervalo, a partida recomeçou. E, após tanto pressionar, foi o Cruzeiro quem abriu o placar. Aos 11 minutos, Brayan recebeu lançamento pela esquerda e tocou para Amilton dominar pelo meio, encobrir o goleiro Leonardo e marcar um golaço no Abadião.

Brayan abriu o placar no Abadião, marcando um golaço por cobertura – Foto: Rener Lopes/Agência EB
Aos 20, o Ceilandense pressionou em cobrança de falta de Rodrigo, com a bola passando perto da trave de Marlon. Com 33 minutos, Maike foi derrubado próximo à grande área. Na cobrança, o próprio Maike encheu o pé e o goleiro Marlon espalmou colocando pela linha de fundo.

Aos 38, um lance polêmico. Ítalo, do Ceilandense, foi derrubado por David na grande área e não marca penalidade máxima. Por conta do lance não marcado, o meia Maike foi reclamar com o árbitro Maricleber Gois e tomou o segundo cartão amarelo, sendo expulso de campo e deixando os donos da casa com um jogador a menos.

Na reta final, com 43 minutos, Thiago Felipe derruba Lucas na grande área e o árbitro marca penalidade máxima favorável ao Ceilandense. Na cobrança, Lucas Fernando marcou e empatou o jogo no Abadião.

Na saída de bola, Robson Marinho fez a última troca no jogo. Amilton deu lugar a Leonardo. No primeiro lance com a bola, o camisa 15 do Cruzeiro trouxe pro meio, viu a zaga aberta e encheu o pé, acertando o canto direito de Leonardo e marcando um belo gol, colocando o Cruzeiro novamente na frente e dando números finais à partida.

“Só tenho a agradecer a Deus pela oportunidade. Desde o infantil, nunca tive a chance e, na primeira oportunidade, eu fui feliz nesse chute. A nossa equipe está bem preparada e todo mundo tá fechado com o time”, ressaltou Leonardo, autor do gol da vitória do Cruzeiro.

“Nossa equipe conseguiu equilibrar o jogo, mas vacilamos e facilitamos. Futebol é isso. Agora é levantar a cabeça, pois o próximo jogo tá em cima”, disse Ítalo, do Ceilandense.

Na próxima rodada, o Ceilandense enfrenta o Brazlândia no estádio Chapadinha, em Brazlândia. Já o Cruzeiro recebe o Samambaia no estádio Serejão, em Taguatinga.

CAMPEONATO BRASILIENSE – SEGUNDA DIVISÃO – 1ª RODADA
CEILANDENSE 1-2 CRUZEIRO
24.06.2017 – ESTÁDIO ABADIÃO – CEILÂNDIA/DF

Árbitro: Maricleber Gois
Público: 64 pagantes
Renda: R$ 640,00

Cartões Amarelos:
Maike, Leonardo, Emerson (Ceilandense)
Thiago Gomes, Cris, Thiago Felipe (Cruzeiro)

Cartão Vermelho:
Maike (Ceilandense)

CEILANDENSE
Leonardo; Oswalter, Alex, Leonardo e Emerson; Igor Schimaltz (Ranyelle), Lucas, Maike e Rodrigo; Ugleizer (Jonathan) e Ítalo.
Técnico: Fabiano Paula

CRUZEIRO
Marlon; André, Augusto, Gleydson e Vitor; Cris, Amilton (Leonardo), Lucas Bocão e Thiago Gomes (Thiago Felipe); Cleuton (David) e Brayan.
Técnico interino: Robson Marinho

segunda-feira, 21 de março de 2016

Formosa vence a primeira em casa e rebaixa Cruzeiro para a Série B

Por Victor Jardim, do Esportes Brasília

Neste domingo (20), o Formosa venceu o Cruzeiro, em casa, por 1×0 e garantiu – matematicamente – a permanência na primeira divisão do Campeonato Brasiliense.

Em um jogo de muita intensidade no primeiro tempo e cadência no segundo, o Formosa dominou a equipe cruzeirense e somou os primeiros três pontos no estádio Diogão.

O Jogo
O Formosa começou a partida a mil. Imprimindo velocidade e volume de jogo, o Tsunami do Cerrado abriu o placar logo aos 14 minutos. Em um contra-ataque rápido, o meio-campo Juninho estufou a rede para o time da casa.

Continuando a pressão, o Formosa acertou o travessão minutos após o gol. Completamente dominado, o Cruzeiro praticamente não criou nenhuma oportunidade de gol no primeiro tempo. Mas mesmo pressionado, conseguiu segurar o 1×0 até o fim da primeira etapa.

No segundo tempo, o jogo caiu de produção. O Formosa ainda comandava a partida, teve chances para ampliar o placar, mas o sol forte forçou as equipes a diminuírem o ritmo. Depois do primeiro gol, a pontaria do Tsunami do Cerrado pareceu ter piorado.

Já do meio para o final do jogo, quando esquema tático já não existia por conta do cansaço, o jogo ficou mais equilibrado. Os cruzeirenses chegaram com perigo até a área do Tsunami do Cerrado, mas sem sucesso, deixando a vitória para o time goiano.

A vitória foi muito importante para o Formosa, que além de garantir a permanência na elite do futebol candango, aumentou as chances de classificação para a próxima fase do campeonato. Com o resultado positivo, a equipe chegou a 10 pontos e ganhou duas posições, ultrapassando Santa Maria e Brasília e foi para a 8ª posição. Já o Cruzeiro confirmou o rebaixamento para a segunda divisão candanga de 2017.

CAMPEONATO BRASILIENSE – 9ª RODADA
FORMOSA 1-0 CRUZEIRO/DF

Público: 783 pagantes
Renda: R$ 4.230,00
Cartões Amarelos: 
Bryan Mera (Formosa); Marlon, Rodrigo, Mateus (Cruzeiro)

FORMOSA:
Márcio Fernandes; Preto Marabá, Jean, Amaral e Brunão; André Luiz (Léo Duarte), Alex, Juninho (Diego Brito) e Igor; Fabry Caicedo e Bryan Mera (Franklin).
Técnico: Lucas Oliveira

CRUZEIRO:
Marlon (Vinícius); Klein, Caio, Augusto e Thiaguinho; Vitino, Rodrigo, Mateus e Renato; Ênio (Thiago Souza) e Handerson.
Técnico: Antônio Caputo

domingo, 6 de março de 2016

Paracatu vence Cruzeiro fora de casa e reage no Candangão

Por Rener Lopes do Clube do Esporte DF

O Cruzeiro recebeu o Paracatu na tarde deste domingo (06) pela sexta rodada do Candangão 2016 e sofreu a quinta derrota na competição.

Luizinho abriu o placar para o time mineiro, aos 15 minutos do primeiro tempo de jogo. Dois minutos depois, o carcará candango reagiu e empatou a partida com o gol marcado por Rodrigo.

Já no segundo tempo, aos 23 minutos, Elimar colocou o Paracatu na frente e deu números finais à partida.

Com a vitória, o Paracatu dá um pulo na classificação do campeonato e agora é o quinto colocado, com oito pontos. Já o Cruzeiro segue na penúltima colocação e na zona de rebaixamento, com um ponto ganho.

Na próxima rodada, o Cruzeiro recebe o Brasília no estádio Abadião. Já o Paracatu enfrenta o Ceilândia em casa, no estádio Frei Norberto.

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Com dois a menos, Sobradinho empata com o Cruzeiro

Por Victor Peres, do Clube do Esporte DF

Na tarde deste sábado (27), o Sobradinho recebeu o Cruzeiro no estádio Augustinho Lima pela quinta rodada do Candangão 2016. Se o Leão mais querido do DF esperava um jogo fácil contra o lanterna da competição, não foi isso que aconteceu.

Apesar de jogar melhor, foram os visitantes que abriram o placar, Thiago Silva, de cabeça, marcou o primeiro gol do Cruzeiro aos 40 do primeiro tempo. Mas os donos da casa correram atrás e conseguiram o empate. Lucas Victor fez o gol dos donos da casa com uma bela cobertura.

O jogo
Antes mesmo do jogo começar, o atraso de quase uma hora prejudicou a abertura dos portões para a torcida, mostrando que o jogo não seria dos mais comuns.

A partida começa com o Sobradinho jogando melhor, com a primeira chance já aos nove minutos, em um ataque puxado por Gago, pela direita do campo, mas sem conclusão. Aos 11, sai o primeiro cartão amarelo do jogo – uma cena repetida várias vezes durante os 90 minutos de partida – pois Felipe impede a saída de bola do goleiro Welder.

Ainda no primeiro tempo, um susto. Bruno, do Cruzeiro, deixou o campo com um estiramento, a ambulância chegou a ser acionada, mas o jogador não precisou ir ao hospital e assistiu ao jogo do banco de reservas.

O primeiro gol sai apenas no final do primeiro tempo. Thiago Silva, aproveitando o vacilo da defesa do Sobradinho, sobe mais que todo mundo e, entre dois zagueiros, de cabeça, empurra para as redes.

O segundo tempo começa mais equilibrado, com chances claras para os dois times e, aos 26 minutos, o zagueiro Santiago, do Sobradinho, toma o segundo amarelo (o sétimo da partida) e é expulso de campo.

Com um a menos, os donos da casa conseguiram um empate heroico, aos 35 minutos do segundo tempo. Lucas Victor recebe bola vindo do meio, avança sozinho e aproveitando a saída do goleiro, toca com muita categoria por cima do goleiro cruzeirense marcando um golaço.

Antes do final da partida, ainda teve tempo para mais duas expulsões. Renato, do Cruzeiro, e Leonardo Torres, do Sobradinho. Aos 50 minutos, Thiago Silva avança pela direita, passa pela defesa do Sobradinho e toca para Fabio, que sozinho, e de frente para o gol, tenta fazer graça e chuta de letra, mas erra miseravelmente e desperdiça, não só a última, mas a melhor chance do Cruzeiro de sair com a vitória.

Mesmo com nove jogadores e um jogador a menos, o Leão da Serra conseguiu segurar o empate e evitar um prejuízo maior. O próximo compromisso do Sobradinho será contra o Atlético Taguatinga, no domingo (6), no estádio Abadião. Já o Cruzeiro receberá o Paracatu, no mesmo dia e horário, no estádio Augustinho Lima.

CAMPEONATO BRASILIENSE – 5ª RODADA
SOBRADINHO 1-1 CRUZEIRO

Público: 369 pagantes
Renda: R$ 1.570,00
Cartões Amarelos: Dadinho, Wilker, Weberthy, Lucas Victor (Sobradinho); Fábio, Caio, Vitor Rodrigues, Pão de Queijo, Klein, Filipe, Kelvin, China, Pablo (Cruzeiro)
Cartões Vermelhos: Santiago, Leonardo Torres (Sobradinho); Renato (Cruzeiro)

SOBRADINHO:
Welder Aurora; Clayton (Douglas Santos), Santiago, Leonardo Torres e Avelar; Dadinho, Gago (Wilker), Weberthy e Jarbas; Lucas Victor e Edicarlos (Lucas Fernando).
Técnico: Elio Junior

CRUZEIRO:
Marlon; Fábio, Caio (Vitor Rodrigues), Zumba e Pão de Queijo; Renato, Klein, Filipe (Kelvin), China (Handerson) e Pablo; Thiago Silva.
Técnico: José Lopes Risada

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Gama vence Cruzeiro e permanece na liderança do Candangão 2016

Por Rener Lopes, do Esportes Brasília -  14 de fevereiro de 2016

Gama e Cruzeiro se enfrentaram no estádio Bezerrão e quase três mil torcedores viram o alviverde candango vencer o carcará por 2×0 e assumir, em definitivo, a liderança do Candangão 2016.

O jogo
Quem pressionou primeiro foi o Cruzeiro. Aos três, Caio Sérgio recebeu falta e, na hora de cobrar, quase enganou o goleiro Pereira, com a bola indo para fora. Dois minutos depois, foi a vez do Gama. Abuda arriscou de longe e surpreendeu Marlon, com a redonda encaminhando pela linha de fundo.

Aos 13, Héricles tabela com Fabio Gama e, na hora do cruzamento, Rafinha não consegue dominar e perde a chance clara de abrir o placar para o time gamense.

O Gama seguiu na pressão e, aos 24, em jogada ensaiada, Héricles cobra falta e lança na medida para Fabio Gama cabecear, obrigando o goleiro Marlon a espalmar e colocar pela linha de fundo.

Após 32, após uma cotovelada dada por Thiago Silva em cima de João Paulo, o árbitro Wales Martins acabou expulsando o atacante cruzeirense. Com um a menos, o Gama aumentou a pressão e, cinco minutos depois, a rede balançou no Bezerrão.

Raone avançou pela esquerda e cruzou na medida para Hericles finalizar. O goleiro Marlon espalma. Na volta, Dudu Gago domina pela direita e rola para Rafael Grampola chutar forte e abrir o placar para o Gama.

Na volta dos vestiários, o técnico José Lopes Risada não promoveu alterações na equipe cruzeirense. E não demorou muito para o carcará tomar o segundo gol. Logo com 20 segundos, Rafael Grampola aproveitou o vacilo da defesa adversária, avançou pela esquerda, driblou a defesa e o goleiro Marlon e rolou a bola para o gol vazio. Era o segundo gol do Gama.

Com sete minutos, Dudu Gago cruza na grande área e Grampola finaliza para fora, perdendo uma excelente chance de ampliar o marcador. Seis minutos depois, veio a primeira resposta do Cruzeiro. Wanderson faz o cruzamento na medida para Felipe cabecear pela linha de fundo.

Aos 39, a última chance do Gama na partida. Dudu recebe passe na direita e chuta cruzado para Rafael Grampola, que não alcança e a bola se perde pela linha de fundo.

Depois disso, o Gama apenas administrou o tempo e confirmou a terceira vitória consecutiva no Candangão 2016, atingindo 100% de aproveitamento e assumindo a liderança, ao lado do Luziânia.

“A expulsão foi injusta. Quem estava na jogada era eu. O jogo estava duro e, infelizmente, prejudicou nosso time. O time do Gama é um bom time jogando em casa, mas sem um, fica complicado”, afirmou o meia Bruno Gustavo.

“Eu voltei a jogar em casa. Fiquei muito feliz e agora temos um calendário cheio, com três competições e vamos em busca de vencer todas”, ressaltou Tiago Gaucho.

Na próxima rodada, o Gama recebe o Brasília no estádio Bezerrão no domingo (21), às 16h, com transmissão da Esportes Brasília. Já o Cruzeiro recebe o Santa Maria no Abadião, nos mesmos dia e horário.

CAMPEONATO BRASILIENSE – 3ª RODADA
GAMA 2-0 CRUZEIRO

Público: 2.669 pagantes
Renda: R$ 29.660,00
Cartões Amarelos: Héricles, ABuda, Grampola, Raone (Gama); Marlon, Fabio, Lucas, Felipe, Bruno Gustavo, Klein (Cruzeiro).
Cartão Vermelho: Thiago Silva (Cruzeiro)

GAMA:
Pereira; Dudu Gago, Rafinha, Lucas e João Paulo; Pedrão, Abuda (Tiago Gaucho) e Fábio Gama; Hériclis (Formiga), Rafael Grampola e Raone (Ítalo).
Técnico: Amedeo Mangone

CRUZEIRO:
Marlon; Caio Vitor (Pablo), Fabio, Caio Sérgio e Vitinho; Lucas, Felipe, Rodrigo (Flávio) e Bruno Gustavo (Wanderson); Thiago Silva e Klein.
Técnico: José Lopes Risada

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

TÉCNICO DO CRUZEIRO FALA SOBRE A PRIMEIRA RODADA

O Candangão 2016 já começou e os resultados da primeira rodada reservaram algumas surpresas e outras certezas. José Lopes Risada, técnico profundo conhecedor do futebol do DF e comandante do Cruzeiro nas duas temporadas do time azul da elite do futebol candango, gentilmente recebeu a reportagem do Esporte Candango e falou, com exclusividade, sobre quais foram as suas impressões da rodada inicial da competição.
Esporte Candango: O que achou da primeira rodada?
José Lopes Risada: A primeira rodada foi dentro do previsto. A não ser o tropeço do Brasília, no empate contra o Taguatinga. Eles são um dos favoritos ao título, junto com Brasiliense, Gama, Luziânia e Ceilândia, que são times que brigam realmente para ser campeão. Então, dentro da previsão dos times vindo de pré-temporada e tudo, geralmente os times de menor expressão se sobressaem. Está dentro do normal, para mim foi uma rodada que não teve surpresa. A não ser o empate do Brasília com o Taguatinga.
Esporte Candango: No caso, a derrota para o Ceilândia já era esperada?
José Lopes Risada: Não. Aí não! Mas, nós estamos montando o time e trabalhamos a semana toda com jogadores que nós achávamos que teriam condições de jogo através da CBF. E na hora “H”, até na sexta-feira, ficamos dependendo da situação desses jogadores. Nós acabamos ficando sem seis jogadores.
Esporte Candango: E sobre a arbitragem?
José Lopes Risada: Foi bem. Tudo bem. O mérito da vitória, apesar de alguns erros nossos, foi a competência do Ceilândia mesmo.
Esporte Candango: A questão das estruturas dos locais dos jogos. Você acha que os estádios estão preparados para receber bem todos aqueles que trabalham ou desejam assistir aos jogos do Candangão?
José Lopes Risada: Sou um treinador queimado em Brasília, porque falo muito sobre a questão da administração. Eu acho que o futebol de Brasília tem totais condições tanto de jogadores como de trabalhadores. Mas, aqui em Brasília falta um pouco de administração dos dirigentes. É torcer para que o Erivaldo (atual presidente da Federação de Futebol do Distrito Federal), com essa nova equipe, dê uma invertida em nosso futebol, porque chegou à falência. Tanto dentro de campo, como fora dele. São três anos seguidos que nós estamos com portões fechados, jogando para os concretos. Aí a gente trabalha, como aqui no Cruzeiro, com muitos jogadores novos, que estão tendo a primeira oportunidade, e com jogadores que não tiveram chance em outros lugares, e estão para aparecer. Trabalhamos em prol de revelar um jogador desses, vender um jogador de destaque. Mas, não tem o torcedor. Como é que se consegue colocar um jogador na vitrine?!
Esporte Candango: Tem alguma boa notícia para o torcedor cruzeirense para a próxima rodada contra o Brasiliense?
José Lopes Risada: Tem a volta de cinco Jogadores, que já estavam trabalhando, mas não puderam jogar.

domingo, 31 de janeiro de 2016

Ceilândia goleia Cruzeiro na abertura do Candangão

por: Matheus Moura  em 30/01/2016 do Clube do Esporte DF

Filipe Cirne manda no ângulo do goleiro cruzeirense e abre o placar na vitória de 3×0 – Foto: ceilandiaec.com.br
Pela primeira rodada do Candangão 2016, Ceilândia e Cruzeiro se enfrentaram no estádio Abadião, na Ceilândia. E logo de cara, o gato preto já goleou o carcará por 3×0.

O jogo que começou estudado e cauteloso pelas duas equipes, deslanchou aos 18 minutos da primeira etapa, quando num ataque em velocidade, Gotinha cruza da esquerda, Filipe Cirne recebe e bate forte cruzado, com pouco ângulo, na saída do goleiro Marlon, abrindo o placar para o time da casa.
Depois do gol, o Cruzeiro não se encontrou na partida, não criando no ataque e com muita dificuldade na defesa.

Para tentar mudar este panorama, o técnico José Lopes Risada fez duas alterações técnicas – um volante por outro, um atacante por outro.

Isso não melhorou o desempenho da equipe e, aos 13 minutos da segunda etapa, Allann Delon consegue um ótimo passe entre três marcadores e encontra Filipe Cirne, que chuta forte, sem chance sem chance para o goleiro, fazendo o segundo gol na partida.

Por conta do calor, uma torcedora desmaiou e foi atendida pelo Corpo de Bombeiros. Por isso, o jogo foi paralisado para atendimento por aproximadamente sete minutos. Depois da volta, o Ceilândia continuou dono das ações ofensivas e aos 38, Chefe aproveita o mal posicionamento do goleiro adversário, domina na intermediária e bate forte, fechando o placar em 3×0.

Na próxima rodada, o Ceilândia visita o Santa Maria, no Bezerrão, e o Cruzeiro recebe o Brasiliense, no estádio Abadião.

CAMPEONATO BRASILIENSE – 1ª RODADA
CEILÂNDIA 3-0 CRUZEIRO
PÚBLICO: 272 pagantes (480 presentes)
RENDA: R$ 2.700,00
Cartões amarelos: Filipe Cirne (Ceilândia); Caio, Fábio, Mateus e Filip (Cruzeiro)

CEILÂNDIA
Léo; Gabriel, Badiuga, Wallace; Kabrini, Dão, Liel, Allann Delon (Clécio) e Filipe Cirne (Romarinho); Gotinha (Vinícius) e Chefe.
Técnico: Adelson de Almeida

CRUZEIRO
Marlon; Gabriel, Caio, Fábio e Juninho (Renato); Bocão (Deivid), Klein, Pão de Queijo e Mateus (Pablo); Filip e Thiago Silva.
Técnico: José Lopes Risada